Você está aqui: Entrada Notícias Projeto defende exame toxicológico para vereadores e assessores
Acções do Documento

Projeto defende exame toxicológico para vereadores e assessores

05/04/2021 – A proposta faz parte da pauta de votações prevista para a sessão de amanhã

Em sua primeira sessão ordinária do mês de Abril, marcada para as 19h da próxima terça-feira, 6, os vereadores devem apreciar seis matérias. As reuniões continuam sendo realizadas em formato remoto e virtual, e transmitidas ao vivo pela TV e internet.

Um dos assuntos previstos para discussão é o projeto de lei que defende a obrigatoriedade de exame toxicológico regular por parte dos vereadores e dos assessores parlamentares. A iniciativa é de autoria dos parlamentares Sidnei Maria Rodrigues, a Si do Combate ao Câncer (Avante), Marcos Antonio Santos, o Marcos da Ripada (PSL), e Paulo Sergio de Oliveira, o Paulinho do Posto (Avante).

A proposta prevê que a Câmara deve custear, a cada seis meses e com alternância entre os laboratórios da cidade, exame toxicológico feito por meio de amostra de queratina presente nos fios de cabelo. O exame é capaz de detectar a presença de substâncias meses após seu consumo. Consta ainda no texto do projeto que, em caso positivo na primeira verificação e também na contraprova, a pessoa deva ser afastada de suas funções para tratamento, sem direito a remuneração nesse período.

 

Anistia

Também faz parte da Ordem do Dia da sessão projeto do vereador Cleverson José de Souza, o Tody da Unidiesel (Cidadania), que concede anistia de multa e juros resultantes de dívidas de tributos municipais vencidos até 31 de dezembro de 2020. A medida aplica-se ainda aos casos inscritos na dívida ativa e às ações já ajuizadas.

Como justificativa, o autor argumenta que os efeitos da pandemia geraram grande inadimplência na arrecadação de recursos. Se aprovada a matéria, o contribuinte deverá protocolar requerimento junto à Secretaria Municipal de Finanças.

 

Executivo

Dois projetos de lei que integram a pauta foram encaminhados à Casa pelo Poder Executivo.

Um deles autoriza e regulamenta a exploração publicitária em espaços e eventos públicos, físicos ou virtuais, das áreas de cultura e turismo. São considerados no projeto a veiculação por meio de cartazes, banners, painéis, pintura em muros, placas eletrônicas, letreiros luminosos, áudios, vídeos, telões, multimídias digitais, cerimoniais, projeções e textos, entre outros.

Conforme a proposta, a concessão de espaços para fins publicitários deve acontecer por meio de processo licitatório; e os recursos arrecadados devem ser direcionados aos Fundos Municipais de Cultura e/ou de Turismo.

A segunda matéria de autoria do Executivo trata de permissão de uso do imóvel onde está instalado o Centro de Convenções e Eventos “Anderson Pontes”, localizado no Alto dos Silvares.

O valor arrecadado com a autorização de uso do espaço deve ser repartido entre os Fundos Municipais de Cultura e de Turismo. Será possível o uso gratuito quando tratar-se de entidade filantrópica ou assistencial sem fins lucrativos. Já nos casos em que o organizador – que deve ser pessoa física ou entidade de atividades culturais existentes no município há pelo menos 2 anos - instituir a cobrança de ingressos, 10% do valor arrecadado pela bilheteria devem ser repassados ao município.

 

Retornam à pauta

E dois projetos de lei que fazem parte da pauta são propostas que tiveram a votação adiada na última semana.

Uma das matérias, protocolada pelo vereador Benedito Dafé (PSD), proíbe depósitos de materiais recicláveis e os chamados “ferros-velhos” de comercializarem peças provenientes de cemitérios. O documento especifica que os revendedores de materiais usados só poderão comercializar esse tipo de produto se tiverem a comprovação da origem dos objetos, como, por exemplo, as notas fiscais.

E também será recolocada em pauta a proposta do vereador Wagner Mastelaro (PT) que propõe divulgação, em Diário Oficial Eletrônico, do link de acesso a reuniões virtuais dos conselhos municipais. A divulgação oficial das datas e horários dessem eventos, assim como das atas com o resultado das reuniões, já é contemplada em lei municipal.

 

Distanciamento Social

As reuniões ordinárias continuam em formato remoto e virtual, por conta da necessidade de distanciamento social causado pela pandemia da Covid-19. O plenário da Casa fica fechado ao público e conta com a presença de apenas alguns integrantes da Mesa Diretora para a coordenação dos trabalhos.

Os vereadores participam à distância, por videoconferência, e podem discursar e votar assim como nos eventos presenciais.

Para a população, o acesso à reunião continua por meio da transmissão ao vivo, que acontece pela televisão (no canal 18.3, integrante da Rede Legislativa) e pelas redes sociais da Câmara no Youtube e Facebook (com acesso direto na página inicial deste site).

 


Serviços:
Evento: 8ª sessão ordinária
Data: terça-feira, 5 de Abril
Início: 19h
Local: Reunião remota, realizada por videoconferência

 

 

 

 

 

Amanda Reis
Assessoria de Imprensa/CMB

 

 

 

 

 
1º Biênio 2021-2022
Vereadores da 18ª Legislatura
Sessões Gravadas
Diário Oficial de Birigüi
Ouvidoria Legislativa
WebMail
RH Online
 

Banners Banners Banners